Eau de Vie Lourinhã

Se para o cristianismo, o termo Água da Vida é utilizado no contexto de água viva, para nós, portugueses, falar em água da vida é também falar em a aguardente. Na verdade ela é a nossa eau de vie, designação dada pelos franceses a todas as bebidas de alto teor alcoólico como conhaque, gin, vodka, tequila, cachaça, rum para citar apenas estas. Em bom rigor as aguardentes são, de facto, bebidas fortemente alcoólicas, obtidas através da fermentação e posterior processo de destilação usadas preferencialmente como bebidas digestivas.

A este propósito fizemos a tradução (e adaptação) do artigo “Os digestivos serão mesmo digestivos?” (Les digestifs font-ils vraiment digérer?) publicado no passado dia 19 de Outubro no jornal CNEWS Matin, de distribuição gratuita e obtido no Metro de Paris.

Diz tal notícia o seguinte:
As refeições em família ou entre amigos rematam-se por vezes com um digestivo que permitirá uma melhor digestão. Ora, contrariamente ao que este nome nos deixa imaginar, parece ser que um copinho de aguardente – que poderia bem ser da região demarcada da Lourinhã – está longe de ajudá-la. Isto porque, desde que transpõe os 20º, o álcool obscurece todo o processo, digamos assim, ao bloquear a produção de um enzima chamado gastrina que activa a secreção dos sucos gástricos. Estes vão depois permitir que os alimentos se transformem antes da sua passagem para os intestinos. Resultado: com as bebidas fortemente alcoólicas o trânsito é feito ao “ralenti”, de forma muito mais lenta. Segundo estudos científicos, a digestão – após a toma de um digestivo – tardaria nove horas a fazer-se, enquanto, para alguém que apenas tomou água à refeição, faz-se em 6 horas! Todavia, com ou sem digestivo, BEBA SEMPRE COM MODERAÇÃO.

Contacto