A propósito de notas de degustação

São “aventureiros, audazes, destemidos e até exuberantes”! Ora se ficam pelo “discreto e descomplexado, ora pelo inquietante”. Estes são apenas alguns dos atributos atribuídos a vinhos, sejam brancos, sejam tintos, sejam fortificados – nacionais ou estrangeiros – a título de notas de degustação.

Como todos podemos verificar, são de tal modo subjectivas estas notas, que em nada contribuem para uma melhor compreensão dos “néctares” em causa, nada acrescendo à sua boa comercialização.

Acreditamos que, numa nota de degustação, o importante será resumir as opiniões a três principais domínios sensoriais: olhos, nariz e boca ou dito por outras palavras: cor, olfacto e sabor, podendo ainda, caso as mesmas tenham sido tentadas, haver uma referência a “harmonizações”.

Nada de fantasias. Um vinho é um vinho e um romance é um romance…

Texto: Manuel Machado

Contacto