O vinho e a humanidade

"Baco", de Michelangelo

Entre outras, existe na Bíblia a seguinte alusão ao vinho: “Noé plantou a vinha e tendo bebido do seu vinho, embriagou-se”.

No Império Romano sabe-se que a adoração ao deus Baco ia além da simples veneração devida ao criador e protector da videira, pois o seu culto desenvolveu-se em torno dos prazeres que o vinho oferecia. A dedicação da vinha a uma divindade, a importância que se lhe dá nas escrituras bíblicas assim como o prestígio do vinho, presente em tantas cerimónias religiosas e não religiosas, levou ao desenvolvimento de um material pictórico riquíssimo que ilustra bem o tema.

Os vinhos que se produziam nas regiões mediterrânicas eram levados em navios até Roma onde os vinhos gregos – que gozaram de renome durante muito tempo – alcançavam às vezes preços exorbitantes.

De facto o vinho conta-nos a história da Humanidade sob diversas perspectivas podendo hoje afirmar-se que os métodos de vinificação alcançaram um grau de perfeição quase científico. Vivendo nós na época do nuclear, o certo é que o vinho conserva toda a sua notoriedade e continua a ser a mais nobre das bebidas.

Contacto