Confraria de Carcavelos presente na entrega dos prémios Dona Adelaide Ferreira (31ª edição)

Isabel Gonçalves Furtado, CEO do grupo Têxtil Manuel Gonçalves e Presidente da COTEC, e Cristina Fonseca, co-fundadora da TalkDesk e Indico, receberam no passado dia 4 de Julho, nas Caves Ferreira, em Vila Nova de Gaia, os PRÉMIOS DONA ANTÓNIA ADELAIDE FERREIRA 2018, que comemoram este ano a sua 31ª edição

O Prémio Consagração de Carreira, atribuído nesta edição a Isabel Furtado, pretende homenagear um percurso de vida consolidado e merecedor de inequívoco reconhecimento público, e o Prémio Revelação, agora concedido a Cristina Fonseca, visa reconhecer um percurso de vida com relevância em fase de afirmação e desenvolvimento.

O prémio foi criado para prestigiar mulheres portuguesas cujo percurso de vida revele uma identificação estreita com os valores pessoais e profissionais personificados por Antónia Adelaide Ferreira. Personagem ímpar na história do Douro, Dona Antónia ficou para sempre associada à figura de empreendedora e humanista que inspirou, de forma determinante, o desenvolvimento da marca Porto Ferreira e de toda a viticultura duriense.

Defesa do empreendedorismo e dos valores humanistas  

Criados em 1988 pelos descendentes da homenageada e pela Sogrape Vinhos, detentora da marca Porto Ferreira, os PRÉMIOS DONA ANTÓNIA ADELAIDE FERREIRA têm o intuito de distinguir, anualmente, mulheres portuguesas que se afirmam publicamente pelas suas qualidades humanas e espírito empreendedor, seguindo o excecional exemplo de vida de Dona Antónia ao contribuírem para o desenvolvimento económico, social e cultural de Portugal.

Sobre Dona Antónia Adelaide Ferreira

Dois séculos depois do nascimento de Dona Antónia Adelaide Ferreira (1811-1896), que os seus conterrâneos apelidaram carinhosamente de “Ferreirinha”, evocar esta figura ímpar da história do Douro Vinhateiro é prestar uma justa homenagem a uma mulher que se tornou um símbolo não só do empreendedorismo e da viticultura duriense, mas também um exemplo maior do altruísmo e da generosidade para com os mais necessitados.

Dona Antónia faleceu a 26 de março de 1896 quando estava prestes a completar 85 anos de uma vida intensa ao serviço da causa do Douro Vinhateiro e dos seus habitantes, principalmente os mais pobres e desfavorecidos, tendo sido sem dúvida uma das personalidades mais marcantes da história de uma das primeiras e mais importantes regiões demarcadas da viticultura em todo o Mundo.

Esta mulher franzina, mas também vibrante e corajosa, tornou-se um símbolo raro de empreendedorismo e é hoje recordada como um exemplo de tenacidade no combate ao drama e à miséria que se abateram sobre a região do Douro em consequência da praga da filoxera, destruidora de grandes vinhedos e dos sonhos de muitos agricultores arruinados. Um cenário de desolação a que a Ferreirinha soube responder com firmeza na luta contra a doença das videiras, através da investigação dos processos mais evoluídos de produção do vinho, de novas grandes plantações de vinha e de aquisições avultadas de terras e de vinhos a proprietários temerosos e descapitalizados.

Herdeira de uma família abastada do Douro com uma importante atividade no cultivo da vinha e na produção de Vinho do Porto, Dona Antónia viu-se na contingência, aos 33 anos de idade, após ter enviuvado, de assumir a liderança dos negócios familiares e de desenvolver aquela que viria a ser a casa FERREIRA – missão que cumpriu com raro brilhantismo, revelando uma extraordinária vocação empresarial.

Mas Dona Antónia não se limitou a gerir a fortuna recebida por herança. Antes investiu, de forma apaixonada e intensa, na Região do Douro que tanto amou, sem esperar pela proteção ou apoio do Estado. Da Ferreirinha se dizia que era generosa com os pobres e mais fracos, mas altiva com os mais ricos e poderosos; e que estava com a mesma naturalidade em casa dos trabalhadores mais modestos ou no Palácio Real. Todos estes atributos, a que se juntaram os seus vinhos finos, de qualidade premiada nas mais prestigiadas exposições internacionais, contribuíram para que esta mulher ímpar tenha adquirido uma aura mítica no mundo dos negócios e na Região do Douro.

Premiadas Edições Anteriores

  • 1ª edição – Prémio 1988

Maria do Rosário Nunes de Carvalho Teixeira

Prémio entregue por: Maria de Jesus Barroso

Data de Entrega: 4 de julho 1989

  • 2ª edição – Prémio 1989

Maria Cândida Oliveira Sousa Morais

Prémio entregue por: Isabel Mota

Data de Entrega: 4 de julho de 1990

  • 3ª edição – Prémio 1990

Catarina Hall (Prémio estímulo / MBA)

Prémio entregue por: Fernando Guedes

Data de Entrega: 4 de julho de 1991

  • 4ª edição – Prémio 1991

Maria do Carmo Portela de Herédia Vieira da Fonseca

Prémio entregue por: Simonetta Luz Afonso

Data de Entrega: 4 de julho de 1992

  • 5ª edição – Prémio 1992

Elisa Maria da Costa Guimarães Ferreira

Prémio entregue por: Teresa Patrício Gouveia

Data de Entrega: 8 de julho de 1993

  • 6ª edição – Prémio 1993

Ana Maria Guedes Antunes de Oliveira (Prémio estímulo / MBA)

Prémio entregue por: Maria Adelina Spratley Ferreira

Data de Entrega: 30 de junho de 1994

  • 7ª edição – Prémio 1994

Maria Rosalina Tavares Machado

Prémio entregue por: Raquel Bettencourt Ferreira

Data de Entrega: 4 de julho de 1995

  • 8ª edição – Prémio 1995

Isabel Maria Lucena Vasconcelos Mota

Prémio entregue por: Maria José Ritta

Data de Entrega: 12 de dezembro de 1996

  • 9ª edição – Prémio 1996

Maria Teresa da Silva Lopes (Prémio estímulo / MBA)

Prémio entregue por: Carlos Barral (em representação de Luísa Amélia Oliveira Guterres)

Data de Entrega: 4 de julho de 1997

  • 10ª edição – Prémio 1997

Vera Nobre da Costa

Prémio entregue por: Agustina Bessa – Luís

Data de Entrega: 3 de julho de 1998

  • 11ª edição – Prémio 1998

Estela de Magalhães Barbot

Prémio entregue por: Francisco Javier de Olazabal

Data de Entrega: 5 de julho de 1999

  • 12ª edição – Prémio 1999

Graça Maria Cavaco de Morais (Prémio estímulo / MBA)

Prémio entregue por: Graça Morais

Data de Entrega: 4 de julho de 2000

  • 13ª edição – Prémio 2000

Maria de Jesus Barroso Soares

Prémio entregue por: Catarina Vaz Pinto

Data de Entrega: 4 de julho de 2001

  • 14ª edição – Prémio 2001

Graça Viterbo

Prémio entregue por: Margarida Sousa Uva Durão Barroso

Data de Entrega: 4 de julho de 2002

  • 15ª edição – Prémio 2002

Ana Teresa Tavares (Prémio estímulo / MBA)

Prémio entregue por: Isabel Alçada Vilar

Data de Entrega: 4 de julho de 2003

  • 16ª edição – Prémio 2003

Inês Costa Garcia e Maria João Teixeira Queiroz

Prémio entregue por: Prof. Doutora Maria de Sousa

Data de Entrega: 15 de julho de 2004

  • 17ª edição – Prémio 2004

Mafalda Mendes de Almeida

Prémio entregue por: Dra. Manuela Ferreira Leite

Data de Entrega: 4 de julho de 2005

  • 18ª edição – Prémio 2005

Catarina Sismeiro / Joana Resende (Prémio estímulo / MBA)

Prémio entregue por: Dra. Leonor Beleza

Data de Entrega: 4 de julho de 2006

  • 19ª edição – Prémio 2006

Maria da Purificação Tavares

Prémio entregue por: Eunice Mumos

Data de Entrega: 4 de julho de 2007

Contacto